sobre meninos e… homens

Sim, eu sou infantil. Sim, já me disseram isso antes. Se tenho vergonha disso? Às vezes sim, às vezes não.

Eu acho que as pessoas deveriam entender quando você pode ser infantil e quando isso é proibido. Existem situações na vida em que esperamos atitudes de homem – e isso vale para as mulheres também. Eu explico – ou tento.

Quando você está se divertindo com seus amigos, você pode – e deve – ser bobo. Coloque a criança que existe em você para fora e ria do seu amigo que coloca a batata frita no nariz, ou da sua amiga que sopra a camisinha do canudo na sua cara e, ainda, se quiser, pode dar tapas nas testas dos seus amigos assim que eles arrotarem e não puserem a mão na testa. Muito normal. Isso independe da idade, sinceramente. A diferença é que depois dos 16, quando jogamos Imagem & Ação, já estamos devidamente alcoolizados.

No entanto, quando a sua namorada te liga num domingo às 23h avisando que bateram no carro dela, você para imediatamente tudo o que está fazendo e vai ao encontro dela – isso é uma atitude de homem. Ou quando você percebe que vai perder o controle, você deve parar e ir embora. Afinal, eu nunca me descontrolei sem saber antes que estava prestes a fazê-lo. Isso também é atitude de homem.

Existem várias atitudes de moleque – ou de menino, como prometer e não cumprir. Ignorar em vez de simplesmente falar. Fingir não dar importância, quando, na verdade, o buraco é bem mais embaixo e isso importa sim. É atitude de menino não ouvir com atenção o que as pessoas têm a dizer. É infantil jogar simplesmente pelo ato de jogar – e não porque você pretende algo com isso. É estúpido e imbecil magoar pessoas pela força do hábito. E se você não tem 60 anos, por favor, não aja como tal – a menos que isso signifique ser homem em alguma das situações supracitadas.

Há algum tempo eu aceitei que a diferença entre os rapazes de 13 e de 27 anos é que os de 27 já possuem, via de regra, capacidade para viver uma vida independente dos pais, avós e/ou qualquer outra pessoa que os sustente. Isso quase nunca me incomoda, exceto quando o ato infantil me afeta de forma direta.

Esse post é dedicado especialmente para o cidadão que não me escutou ontem e para o cidadão que está me ignorando há alguns dias. Sejam homens, conversem comigo e me expliquem o que se passa. É deselegante deixar alguém sem resposta/amparo.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s