a cena onde eu possa brilhar

Eu quero a vida de um artista de cinema
Eu quero a cena onde eu possa brilhar

Eu, quando muito nova, era uma daquelas crianças que senta na primeira carteira e só tira nota alta. No fim das contas, acho que aquilo tudo era muito fácil mesmo, porque eu sempre fui preguiçosa com os estudos. Sempre odiei fazer dever de casa ou ter que sentar a qualquer hora do dia para estudar. Sempre achei que prestar atenção às aulas era mais útil – e me bastava.

Com o passar dos anos e o surgimento de outros interesses, a coisa mudou um pouco de figura. Ou melhor, as notas registradas no meu boletim mudaram um bocado. Aliás, passaram por mudanças graduais até que deixaram de alcançar as médias e eu terminei reprovando em três matérias no 2º ano do Ensino Médio.

Por consequência de algumas crises pessoais e algumas outras familiares, acabei me perdendo em meio à resposta da pergunta O que você quer ser quando crescer? e terminei por me formar em Letras Inglês pela Universidade Federal do Espírito Santo. Foi como voltar para o primário. Primeiro, porque as aulas eram, em sua maioria, divertidas. Segundo, porque, via de regra, as aulas me eram suficientes e o tempo gasto produzindo alguma coisa foi irrisório.

Depois de um tempo na graduação de Letras, eu percebi que me faltava alguma coisa – ou algumas coisas. E comecei a me questionar sobre o que de fato eu estava fazendo e como eu queria continuar a viver. Ok, ficou um pouco profundo demais. Já no final do curso, eu decidi fazer uma viagem para a Europa, vivi um ano na Alemanha, ocasião na qual pude aperfeiçoar meu alemão.

Antes mesmo de decidir viajar para a Alemanha, eu já me havia decidido por mudar de área, cursar engenharia. Pensando nisso, eu busquei terminar a minha graduação o mais rápido possível e comecei a pesquisar instituições nas quais eu poderia fazer esse curso na cidade onde moro. Afinal, depois de tanto tempo afastada do Ensino Médio e do contato com o raciocínio lógico, era de se esperar que ser aprovada num vestibular de exatas fosse algo complicado – e foi. Terminei por começar meu curso numa particular.

Ainda estudante de engenharia e cheia de expectativas, já troquei de área dentro da Engenharia (saí da Civil e fui para Mecânica) e continuo com brilho nos olhos quando penso no que virá pela frente. Confesso que há momentos em que me canso e só quero saber de dormir e viver às custas dos outros, mas esse é um sentimento que passa rapidamente.

Enfim, hora de parar de escrever no blog e estudar.
Por hoje é só, pessoal.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s