The good memories are fresh and they make me smile.
The bad memories though are too fresh and they make me unhappy.

Advertisements

i’m sorry

Há muito tempo, quando eu ainda namorava outros seres humanos (hehehe calma, eu não namoro outros seres vivos, não se assustem), eu me lembro de algumas discussões que aconteceram por conta de pedidos de desculpas. Eu acredito que um pedido de desculpas é uma promessa de que aquilo não irá acontecer de novo, mas não é sempre assim, né? Não é, porque somos humanos e repetimos erros mesmo sem vontade.

Depois de sofrer um pouco por conta disso, eu também entendi que, ao desculpar alguém, é preciso deixar para trás aquilo que te magoou. Esquecer, enterrar, apagar da memória se preciso for. Se você não consegue deixar aquilo de lado, você não consegue desculpar a pessoa e a promessa feita pela outra parte perde o sentido.

I’m breaking free from these memories
Gotta let it go, just let it go
I’ve said goodbye
Set it all on fire
Gotta let it go, just let it go

 

Por outro lado, mesmo que querendo matar a outra pessoa, eu sempre aceitei ouvir tudo o que me tinha para ser dito. Eu respeito isso muito – e eu gosto muito de falar. Meus pais não me deram muita oportunidade de conversa na minha criação e eu acho que é esse um dos motivos pelos quais eu aprecio tanto o diálogo.

Existem duas coisas que me doem imensamente: saber que magoei alguém e não poder pedir desculpas; e saber que alguém está chateado comigo por um motivo que desconheço. É muita crueldade não me dizer onde eu errei, não me dar a oportunidade de evitar o mesmo erro futuramente. E quando há conhecimento do motivo da mágoa, nada mais justo que um sincero pedido de desculpas. Só que é muito difícil pedir desculpas se a pessoa não te ouve.

And I won’t put my hands up and surrender 
There will be no white flag above my door 

Há uns meses, eu tive um diagnóstico de gastrite e isso me fez ter que reduzir a minha ingestão de álcool consideravelmente. Eu comecei a consumir bebida alcoólica por volta dos 14 anos de idade e nunca fui muito boa em beber socialmente. De uns tempos para cá, meu consumo aumentou de 2x na semana para cerca de 4 vezes na semana. Eu considero um consumo elevado. E reduzir a duas vezes no mês foi uma tortura.

A verdade é que eventualmente eu saio da dieta e isso tem diversas consequências: dor de estômago é a que dura mais tempo. Às vezes, tem ressaca moral. E, dessa vez, tem muita. Acho que vai me render umas boas semanas sem dormir (tem gente que deve estar comemorando essa informação). Tem também dores nas pernas e nos pés.

Bom, a verdade é que minha mente louca criou uma informação inexistente e eu reagi de forma igualmente louca e resolvi voltar a pé para casa. Não era assim tão longe, foi uma caminha de 4km e 40 minutos de duração. Poderia ter sido pior. Poderia ter acontecido algo no caminho. Calma, tentaram me impedir, tentaram me procurar de carro – eu não sabia dizer onde eu estava. E o engraçado é que the very same person who tried to find me is the same one who claims not to care about me. E é a mesma pessoa que não me deixa pedir desculpas. That’s it then, I won’t apologize.

 

And when we meet 
Which I’m sure we will 
All that was there
Will be there still 
I’ll let it pass 
And hold my tongue 
And you will think 
That I’ve moved on….