não

Bom, de uns tempos para cá, eu estava vivendo um romance que acontecia só na minha cabeça. Uma expectativa louca em cima de uma pessoa que parecia estar aí, disposta a dar-se por completo. Na verdade, é muito fácil usar palavras. Eu aprecio de forma incondicional quem sabe usar palavras a seu favor. Eu adoro dominá-las e aprecio quem faz o mesmo. Quer dizer, quando se está longe, tudo é sempre uma maravilha, porque podemos escolher sempre palavras macias.

Mas ninguém fica longe para sempre, as pessoas eventualmente retornam ao lugar que, em algum momento, representou home e isso é inevitável. Bom, nesse caso, eu, tola que sou, achei que a criatura não retornava apenas à sua linda cidade natal, mas também retornava para os meus braços. Ledo engano.

Essas coisas não aparecem assim de forma tão clara quando se vive a situação, quando se quer ser enganado. E, sejamos sinceros, existem momentos em que queremos sim ser enganados.

Love me love me
Say that you love me
Fool me fool me
Go on and fool me

 

 

Até que cheguei num momento em que cansei de ser enganada, cansei de ser feita de idiota.

What if I say I’m not like the others?
What if I say I’m not just another one of your plays?

 

 

E foi aí que começou o processo de despedida. Aquele em que as mulheres (eu, no caso) surtam e reclamam que não estão recebendo atenção. Aquele momento em que a gente diz você tá falando uma coisa e fazendo outra. Aquele momento em que a pessoa se sente absolutamente ultrajada pela cobrança excessiva. Aquele momento em que a pessoa se assusta com tudo aquilo que você depositou nela.

E foi assim que eu pedi para a pessoa que dizia querer ser o pai dos meus filhos se afastar. E eu sofri, mas não chorei. Já até saí num date depois disso. Já dei unfriend no Facebook e em breve estará excluído de todas as minhas listas telefônicas. E eu estou irritada comigo, porque eu confiava no cara, achava que ele falava a verdade. Mas tá aí, mais um para a minha lista de caras idiotas com os quais eu me relaciono.

 

 

At the start of his goodbye
Do you ever realize
That you never get the chance
All you get is alibis
When smoke begins to fade
And you’re standing face to face
Does he kiss you in a way to say:
“You’re the other woman”
The other woman

 

[Comentário interessante: antes de exclui-lo do Facebook, eu publiquei a música da Caro Emerald – The other woman na minha timeline: ele curtiu.]

Advertisements