eu não gosto de carne vermelha. e daí?

Já que o post desta semana falou sobre tolerância, resolvi me manter no tema. Aos 12 anos de idade, eu desenvolvi um sentimento de nojo incontrolável por carne de boi e, obviamente, decidi parar de comer esse tipo de alimento. Naquela época, meu universo compreendia carne de boi, de frango e mariscos. Não comia carne de porco, porque minha mãe não cozinhava porco, só comia linguiça nos poucos churrascos que frequentava – aliás, eu achava churrasco uma coisa muito estranha.

O tempo passou e as pessoas estranharam a frescura não ter passado junto. Eu costumo dizer que gosto é gosto e a medida que o tempo foi passando, a carne bovina foi me incomodando mais. Por razões que o mundo desconhece, eu decidi morar durante um ano na Alemanha (julho de 2008 a julho de 2009) e, por isso, no início de 2008, eu iniciei um trabalho de reeducação alimentar inserindo outros tipos de carne – que não a branca.

Passado esse período na Europa, que deu muito certo, eu voltei ao Brasil e, com isso, fui deixando de comer carnes vermelhas novamente. Não quis fazer isso, mas eu não sentia necessidade de comer, então não comia. Como eu disse, eu não gosto. Conheço várias pessoas que não comem jiló justamente por não gostar. Qual o problema de não gostar de carne vermelha? Ah! Nem churrasco?! Sério que, na sua cabeça, carne sangrando é menos nojento que carne bem passada? Você tem probleminhas.

Enfim, durante esse tempo, encontrei diversas pessoas incomodadas com meus hábitos alimentares. De uns anos pra cá, comecei a me incomodar também com frango e passei a ser chamada de piscovegetariana – que é um nome horroroso para indicar que eu me alimento de carnes que vêm do mar e de vegetais. As pessoas passaram a se incomodar ainda mais com meus hábitos. Como você come peixe, que é uma carne branca, mas não come frango, que também é carne branca? Queridos, como vocês comem maçã, que é uma fruta, mas não comem tomate, que é outra fruta?

A questão é, no geral, eu não vejo problema nenhum em você comer carnes que eu não como. Você deveria ficar feliz: sobra mais para você – pode ficar com o meu. Eu não gosto de frequentar churrascarias, é um pouco demais para mim. Ok. Existe um ambiente que eu não gosto de frequentar por conta da minha dieta. Apenas um. O problema é que algumas pessoas não respeitam meu gosto. Acham que eu tenho um problema. Se você é uma dessas pessoas, saiba de uma coisa: meu problema é você.

A primeira vez, desde os meus 12 anos, em que eu tive algum problema nutricional por conta da minha alimentação foi este ano. Minha ferritina está baixa, mas não abaixo do limite. Ou seja, realmente, está faltando um pouco de ferro na minha ingestão normal de alimentos. Eu posso fazer reposição de ferro ou posso inserir carne vermelha na minha dieta. Eu posso, quer dizer, não é obrigatório.

Eu até posso te convidar para ir a um lugar onde eu goste de comer salada. Mas saiba: não vai ser a única opção do menu. De resto: não me torrem a paciência. Talvez você, que não come salada, possa ter um problema para digerir seus alimentos. Mas não sou eu que vou dar pitaco na sua alimentação, né?

Advertisements

3 thoughts on “eu não gosto de carne vermelha. e daí?

  1. Sério mesmo que você se importa com a opinião dos outros? O melhor é não esquentar a cabeça e provocar esse pessoal que acham que existem jeitos certos e errados de viver. Poor people.

    1. Não é nem questão de me importar com a opinião dos outros. No caso, eu me incomodo com gente intolerante. Eu não me importo com as dietas das outras pessoas, então quero que respeitem a minha. Sem encheção de paciência =P

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s