espelho

Eu tentei escrever este post mais cedo, mas não consegui. Não consegui, porque não havia sido capaz de me colocar do outro lado, de sentir o que o outro sente.

Há algum tempo eu escuto relatos de homens me dizendo que os assusto de alguma forma. Como se eu causasse temor. Não sei se me admiram tanto, que chegam a sentir medo; ou se, como alguns chegam a relatar, eu me mostro tão confiante, que chego a ser assustadora. Acho que os homens, via de regra, não gostam de mulheres que não precisam deles. Fato é que os que têm medo, por mais que sintam atração, fogem.

Inclusive, certa vez, eu falei isso com um amigo. Que ele deixava tão claro que não precisava de ninguém, que as mulheres corriam dele. Isso foi há anos. Acho que as mulheres pararam de correr dele – ele mora com a namorada atualmente. Ou, vai ver, ele passou a ser menos autossuficiente. Não sei.

O fato de eu não ter sido capaz de escrever o post antes, mas tê-lo escrito agora, é justamente por, agora, a ficha ter caído. Eu acabei de explicar para um cara que eu não vou mais ficar com ele, porque gosto dele e o sentimento não é recíproco. Ele me perguntou o que as mulheres veem nele. Bom, as outras, eu não sei, mas eu sinto medo. Um medo bobo, diferente, uma segurança tola, mas é isso que sinto – e é isso que me faz bem. Só não é recíproco. E aí, meu amigo, quando a coisa vai, mas não volta, a gente para de deixar ir…

O título do post é espelho, porque, normalmente, o que a gente vê no outro e que irrita é justamente o que a gente também tem. Espelho, espelho meu, existe alguém no mundo mais pateta do que eu?

Advertisements

deixe a vida me levar

vida leva eu.

Ontem eu fui à festa de despedida/aniversário de uma amiga. Ela e o namorado pediram demissão de seus empregos e passarão um ano viajando pela Europa e Ásia. Admiro muito a coragem e também o lugar em que chegaram. Afinal, é preciso ter muita segurança para acreditar que, depois de um ano ausente do mercado, se irá conseguir emprego. Eles conseguirão.

Em meio a diversas conversas com essas minhas amigas que amo tanto, veio o comentário de que os 30 se aproximam. Mas… e daí? Bom, o tempo passa e passa para todos. E existem alguns sinais que me dizem, todos os dias, que a vida passa para mim: tenho 3 sobrinhos, meus irmãos já se casaram, minhas amigas se casaram ou estão noivas, eu já me formei e comecei outro curso… e estou encalhada.

Ok. Acabo de alcançar minha crise de meia idade.

Sempre falei que não curto fazer muitos planos para o futuro. Que a vida se constrói sozinha e eu tenho mais é que viver o presente. E eu vivo mesmo o presente, mas… quando eu paro e penso sobre a minha vida futura e só me vejo sozinha, bate certa solidão…

a gente inventa

Yesterday I questioned myself – and a friend – how was it possible to feel lonely during carnival. I mean, my family is all around, I have my… uh… affairs… But today I feel a lot like a song from Cazuza. So I’ll share the stanzas I identifyed the most with.

°°

O teu amor é uma mentira
Que a minha vaidade quer
E o meu, poesia de cego
Você não pode ver

[…]

Te ver não é mais tão bacana
Quanto a semana passada
Você nem arrumou a cama
Parece que fugiu de casa

Mas ficou tudo fora de lugar
Café sem açúcar, dança sem par
Você podia ao menos me contar
Uma história romântica

°°
Don’t we do it all the time? I mean, isn’t it cool to fake romances? I’m feeling out of place, out of time.

strawberry blonde

Even when people are together – they’re still two people. You never stop being you, do you?
Guess I’ll have to live with my lonely soul for a while =]

°°

You’re the strawberry blonde and I’m the grey
[…]
Tell me you’ll sing your song for my lonely soul

if I lay here…

Hoje é um daqueles dias em que eu acordo, olho para o lado e noto que estou sozinha. Há alguns meses eu sinto falta de acordar com alguém do meu lado. Mas não qualquer pessoa.
Eu ouvi durante muito tempo que eu sentia falta de alguém, simplesmente. Se fosse, esse vazio já estaria preenchido. Eu estou com alguém – alguém que se importa comigo de uma forma fantástica. E poucas coisas são tão boas quanto isso.
O que eu queria mesmo era poder simplesmente dizer para o outro, não este, que I need him more than ever.
Would you lie with me and just forget the world?

The Beauty of Being Alone

Or should I say the beauty of being lonely?

Every now and then I think of how I never needed anybody, but now…?  I have never understood that little boy who would always say I would bring him peace – he was safe with me. He left me. And I was mad – I was so fucking mad. But now I see that he would never be complete by my side – I wasn’t feeling complete either.

Nowadays I feel lonely all the time. Yes, I do. The person who was always two at the same time – I was SO complete, I was whole. I am not anymore. I believe I achieved a moment in my life that I need someone to look at and know that I am safe. I thought, I really thought I have found this person – I didn’t. For if I had, he would still be with me, wouldn’t he?