blitz

Hoje meu dia começou animado, porque eu sabia que iria participar de um momento muito importante na vida da minha sobrinha: a primeira festinha de escola. Busquei-a em casa no final da tarde e a trouxe para se arrumar aqui comigo – fiquei de ajudar na maquiagem e no cabelo, porque a mãe dela estava trabalhando.

Além disso, hoje é aniversário de uma das minhas flatmates e eu gastei algum tempo tentando encontrar o presente ideal. Não encontrei, mas como todo bom gordo – e nós somos o pior tipo -, eu comprei um bolo e isso já é suficiente. Afinal, há quem acredite que o que vale é a intenção.

Bom, fui à aula e depois passei pra dar [mais] um abraço na minha flatmate e depois parti para buscar minha sobrinha. A festinha acabava meia noite (tem hífen?) e eu fui instruída a não me atrasar, então cheguei às 23h50, como toda boa tia coruja faria.

Minha sobrinha estava esgotada e, pelo que entendi, a festa foi completamente entediante, mas tudo bem. Eu não quis dizer, mas a verdade é que melhora depois que ficar bêbado passa a ser tolerado. Ela ainda vai aprender isso. Provavelmente no ano que vem, quando começarem as festinha de quinze anos.

Bom, havia uma blitz na rua da casa da minha mãe e acharam legal me parar, mesmo estando com uma adolescente no carro. Ok, mandei minha sobrinha para casa e fui fazer o meu teste do bafômetro. É claro que eu fui aprovada. Todo mundo sabe que eu não gosto de misturar álcool no meu sangue quando tenho que dirigir.

No entanto, o licenciamento do meu carro não havia sido pago. Desde que eu ganhei esse carro, eu deixei claro para a minha família que eu não teria condições de mantê-lo, então meus pais assumiram esse compromisso. Bom, eles é que queriam que eu tivesse um carro, né? Pois é, não sabia que meu documento estava vencido e tive meu carro guinchado.

Eu já fui parada numa blitz em uma outra situação e eu percebi como eu odeio todo esse processo. Não o fato de eu estar errada e precisarem guinchar o meu carro – eu consigo lidar com isso. O que me incomoda é a demora. Demora para provar que não estou alcoolizada, demora para me notificar, demora para guinchar o meu carro, demora para me liberar. Sinceramente, ninguém gosta de ser parado em blitz, não precisava ser uma coisa que demora mais de uma hora, sabe?

Fora que se o condutor espirra, a polícia já guincha o seu carro. Qual é a real necessidade disso? A multa já saiu, a pessoa já sabe que precisa regularizar a situação, ainda precisa desenvolver teleporte para resgatar o carro que foi parar lá no caixa prego? Não compreendo.

Peguei o carro da minha mãe e me coloquei no caminho de casa. Virei a esquina. Outra blitz. Pensei não é possível, não tem lógica uma coisa dessas. Abri o vidro, falei com o guarda moço, o senhor não vai me parar de novo, né? acabei de vir de uma blitz, é mesmo? qual? aquela ali embaixo do viaduto, já até guincharam meu carro, este aqui é outro, tudo bem, pode ir embora, obrigada, de nada.

Qual é a probabilidade de uma pessoa ser parada em duas blitz na mesma quadra? Cadê os amigos estatísticos?

Advertisements